Mix de Notícias com Élvia Moraes – 06/02/2018

Uberaba ganha representatividade no Governo Federal. Presidente da Cohagra vai para o Ministério das Cidades
Presidente da Cohagra Marcos Jamal deixa o cargo esta semana e segue para Brasília para assumir a Diretoria de Melhorias Habitacionais do Ministério das Cidades.
Quem assume a Cohagra – Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande é o Vice-prefeito João Gilberto Ripposati

Agendamento para regularizar título cancelado começa dia 15

Sem choro e nem vela, termina nesta sexta-feira o recadastramento biométrico em Uberaba e Minas Gerais. Quem não conseguir terá o título cancelado. Não haverá prorrogação.
 Tanto, que a Justiça Eleitoral divulgou ontem o cronograma de regularização para os interessados em votar nas eleições de outubro.
A partir do dia 15 deste mês, o TRE abre o período de agendamento pelo site, telefone 148 ou pelos postos da Prefeitura de Uberaba, Cohagra e Uniube – Campus Aeroporto.
O prazo para regularizar o título começa em 26 de fevereiro e vai até 09 de maio. Não haverá multa e o eleitor provavelmente conseguirá manter o mesmo número.
Gasolina tem queda de 3% nos últimos dias em Uberaba
No início da semana passada, a gasolina em Uberaba estava a R$4,72 e em alguns postos chegou a R$4,78. Mas bastou um posto no bairro Mercês colocar o combustível a R$4,18 que acirrou a concorrência. Pelo menos um posto colocou a gasolina no mesmo patamar e vários outros também reduziram o preço.
A gasolina pode ser encontrada a R$4,39. Pesquisa do PROCON divulgada ontem mostra que a gasolina caiu 3% em Uberaba nos últimos cinco dias, o que representa até R$0,64 no litro. O valor mínimo encontrado em 71 postos foi R$4,14 e o máximo R$4,79 – uma variação de 15,92%.
 O preço do etanol e o diesel também caíram. O etanol teve a maior variação 22% e a queda no litro foi de 2,5% indo de R$2,77 a R$3,39. O diesel comum teve a menor queda – 0,12%%. O litro nos 71 postos pesquisados vai de R$3,24 a R$3,69.
O endereço dos postos e o preço por eles praticado estão no site da prefeitura de Uberaba no ícone PROCON.

MPF quer legitimar a mudança de locais públicos que contenham nomes de pessoas que participaram da violação de direitos humanos na ditadura

O Ministério Público Federal em Belo Horizonte ajuizou ação civil pública para obrigar a União a efetivar a Recomendação nº 28 da Comissão Nacional da Verdade.
A determinação é mudança da denominação de ruas, prédios e instituições públicas de qualquer natureza, no âmbito federal, dos estados ou municípios que contenham nomes de agentes públicos ou particulares que notoriamente tenham participado ou praticado graves violações a direitos humanos durante o período da ditadura militar no Brasil.
Os anos de chumbo como é chamado o período da ditadura iniciada em 1964 foi marcado por graves violações aos direitos da população brasileira, como homicídios, tortura, desaparecimentos forçados e ocultação de cadáveres.
Em Uberaba, há pelo menos uma instituição que se enquadra nesta situação. É a Escola Estadual Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco no Bairro Estados Unidos.
Foi Castelo Branco o primeiro presidente da ditadura militar que governou o país entre 64 e 67. Em seu governo foram gestados os elementos que constituíram o alicerce do autoritarismo e ilegalidades que marcaram o regime militar.  
O Ministério Público Federal defende que a alteração dos nomes que homenageiam os ex-presidentes Médici, Costa e Silva e Castelo Branco é uma medida de forte carga simbólica às vítimas do regime militar. É ainda, um reconhecimento e reprovação pelo Estado brasileiro das violações cometidas durante o período autoritário.